Subsecretarias elaboram ações para amparar índios, negros e jovens dentro da diversidade sexual

Campo Grande (MS)- Em consonância com a Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial, editada pelas Nações Unidas e, em busca de construção de políticas públicas eficazes para população LGTB (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), as subsecretarias da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast) se uniram nesta segunda-feira (4) para discutir e elaborar ações concretas que ampare índios, negros e juventude dentro da diversidade sexual.

Como parte do Maio da Diversidade 2015, em alusão ao Dia Estadual de Combate à Homofobia, a Sedhast traz um calendário diverso, pontuado por atividades culturais e informativas, com foco em temas importantes para a comunidade LGBT.

Nesse sentido, representantes das subsecretarias da Sedhast discutiram políticas públicas dentro do ‘Projeto Tecendo Redes: Juventude, Negritude, Cultura Indígena e Diversidade Sexual’. O subsecretário de Políticas para Promoção da Igualdade Racial e Cidadania, Carlos Alberto Versoza, disse haver certos ‘tabus’ difíceis de serem abordados. “As comunidades quilombolas são muito patriarcais e vemos que existe a questão do preconceito. Vamos estudar uma forma de abordar a temática e esclarecer onde buscar orientação sobre direitos dessa população”, ponderou o subsecretário.

Para Leonardo Bastos, coordenador do Centro de Referência e Combate à Homofobia, o Maio da Diversidade é uma conquista para a levar informação à comunidade LGBT sobre os seus direitos e para o serviço público de uma forma geral, melhorar o atendimento e garantir acesso a políticas públicas. “Vamos pensar nos negros, indígenas e jovens que sofre mais de uma opressão específica, mais de um preconceito. Pensar de como esses preconceitos se entrelaçam e como podemos enfrentar e valorizar a diversidade sexual em todos os segmentos independente de raça, etnia e geração”, assegura o coordenador.

Participaram do debate representantes da Prefeitura Municipal, Conselhos, Universidades, Subsecretaria das Políticas Públicas para Mulheres, Associação das Travestis e Transexuais de Mato Grosso do Sul e Rede de Homens Gays e Bissexuais de Mato Grosso do Sul.

A próxima atividade do Maio da Diversidade 2015 vai ser amanhã (5), no município de Coxim, ‘Oficina Regional sobre Atendimento à População LGBT e Blitz Educativa.

Serviço – Para denúncias de casos de homofobia está disponível o Disque Direitos Humanos – Disque 100. As manifestações de violações são examinadas e posteriormente encaminhadas para os órgãos responsáveis para apuração e providências.

Confira a programação do Maio da Diversidade

CLIQUE AQUI

Solange Mori (Assessoria Vice-Governadoria e Sedhast)

Fotos: Xuxa